A dor amor

- Não há dor pior que a dor do parto!
Decretam as mulheres.
- Nada dói mais que um chute nos ovos!
Protestam os homens.

Há torturadores que têm outras teorias.
Todas elas confirmadas por incontáveis torturados.
Enfim, não há consenso sobre a maior dor física!
E cada um sabe a dor que tem.

Venho descobrindo as minhas.
Aprendendo as dores...
É como aprender a matemática.
Começa aprendendo a somar, depois subtrair.
Multiplica, divide, fraciona!

Aprender dores não é fácil.
Leva anos e anos...
Pode levar uma vida inteira!

Tem gente que morre sem saber de dor
E tem dor que a gente só descobre no fim da vida.
Eu tenho descoberto umas dores fora de ordem...

Não é pra menos!
Fui nascer com cifose, lordose e escoliose!
Com tanta dose
descobri desde cedo a dor de velho.

E a gente leva muita porrada,
borrachada, gás-pimenta...
Vamos colecionando dores.

Mas nenhuma dor física é tão grande,
tão elástica, tão ampla e vasta
quanto a dor mental.

A dor mental se espalha por tudo o que se vê.
Toda música que se ouve
de repente se preenche dela.

Até os sabores ficam contaminados pela dor mental.
Os perfumes então, nem se fala!
Os cinco sentidos se rendem à dor mental.

Tenho aprendido a dor mental através do amor.
Porque amar é muito doído
e muito doido também!

Há os que dizem que a saudade dói mais que o amor.
Mas só temos saudade daquilo que amamos.
A saudade e a dor moram juntas no amor.

E agora, que sou quase todo amor,
se abriu um cantinho pra dor
de ter perdido você
outra vez.

E, de repente,
tudo é dor!
A dor amor.

Caio Dezorzi
Redigido em 21/11/2011, mas foi escrito em 11/07/2011 e reescrito em 20/07/2011 em algum lugar dentro de mim.